Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Os Sumerios

A Suméria foi a mais antiga civilização humana, segundo a arqueologia. Localizava-se onde hoje é o Iraque (antiga Mesopotâmia) e teve início entre 3.500 e 3000 A.C.Futuramente vou escrever com mais detalhes sobre esta civilização, mas agora o foco é na sua Astronomia.

Os Sumérios geralmente são considerados os inventores da astronomia. Já foram encontradas centenas de inscrições sobre suas observações celestes, e o que se pode notar é que o conhecimento que possuíam era avançadíssimo para quem vivia na Terra há 5.000 anos atrás.

Eles tinham escritos específicos sobre o sistema solar, o que nos leva a crer na possibilidade de que os Sumérios conheciam todos os planetas do nosso sistema, sua ordem correta ao redor do sol, bem como seu tamanho e talvez até a cor de cada um. Eles chamavam Urano e Netuno de planetas gêmeos.

Ali, mais para a esquerda, vemos o Sol, e mais 11 corpos a sua volta. Interessante isto, já que Urano, Netuno e Plutão só foram “descobertos” em 1781, 1846 e 1930 respectivamente (e os Sumérios não tinham telescópios).

Então juntando tudo temos o Sol, a Lua, e mais os nove planetas em nosso sistema solar, certo? ERRADO

Ali na figura, ao redor do Sol, existe um corpo celeste a mais. Sim, isso mesmo, tem mais um planeta ali! Veja no detalhe.





Mas que planeta será este?




De acordo com os escritos sumérios, é Nibiru, o 12º planeta (eles também denominavam “planetas” o sol e a lua em sua astronomia). E deixaram escritos sobre este planeta em tabuinhas de argila.


Nibiru significa “O Planeta da Travessia”, e recebeu este nome porque sua órbita é diferente, fazendo com que ele cruze pelas órbitas dos demais planetas do sistema solar.

Abaixo dois textos sumérios que falam sobre ele:

O grande planeta:

A sua aparência, vermelho escuro.

O céu ele divide ao meio

E permanece como Nibiru.

Planeta do deus Marduk:

Ao seu aparecimento: Mercúrio

Subindo trinta graus do arco celestial: Júpiter

Quando colocado no local da batalha celeste: Nibiru

Segundo o escritor e pesquisador da civilização suméria Zecharia Sitchin, a órbita do 12º planeta é de 3.600 anos. Cada vez que ele se aproxima e passa perto da Terra, causa uma série de eventos, como resultado da influência de seu forte campo gravitacional, já que Nibiru tem um tamanho aproximado ao de Júpiter. Segundo Sitchin, numa das vezes que o 12° planeta passou por aqui, aconteceu o dilúvio relatado na Bíblia. Esta história teve origem na Suméria, onde o Noé original se chamava Ziuzudra. Veja uma ilustração que mostra a provável órbita do planeta:

Alguns símbolos foram associados à Nibiru: Uma cruz, um globo alado e uma estrela de 8 raios. Mas o principal era o globo alado, como podemos ver a seguir.

E agora na versão egípcia.

Os arqueólogos dizem que este símbolo representa o Sol. Mas talvez essa não seja bem a verdade.

Os egípcios deviam conhecer Nibiru, assim como os sumérios, pois seu império durou milênios. Tempo suficiente para poder testemunhar pelo menos uma das passagens deste planeta por aqui.

Pelo que parece os sumérios, há 5000 anos atrás, já conheciam todos os planetas do nosso sistema solar. Então, o mais provável é que eles estejam certos também em relação à Nibiru. E a questão é:

Quando ele vai se aproximar novamente? Será que já está se aproximando e nós (o povo) não sabemos? O que eu sei é que nosso planeta tem andado muito estranho ultimamente, e talvez isso não seja somente resultado do aquecimento global.


E mais, segundo os sumérios, Nibiru é habitado. Eles diziam que os deuses moravam lá e vinham para terra quando o planeta se aproximava. Os chamavam de Anunnaki, que significa “aqueles que do céu a terra vieram”. Eles teriam criado o homem como o conhecemos hoje, e acham que a Terra e nós mesmos somos sua propriedade.


Então, se Nibiru aparecer, além de problemas de ordem física em nosso planeta (lembram do dilúvio?), muito provavelmente teremos que lidar com alguns visitantes que talvez se mostrem muito indesejados.











terça-feira, 9 de julho de 2013

Cosmonauta relata avistamento de Ovni


Em 5 de maio de 1981, o cosmonauta Vladimir Kovalyónok observou um raro objeto ao redor da estação espacial Saliut 6. O cosmonauta contou sua história em um programa de TV da rede russa Rossiya 1.

“Estava treinando na esteira de correr. Ao olhar pela janela vi um objeto brilhante ‘debaixo’ da estação espacial.” Tinha uma forma parecida com a de um meteoro, recordou o cosmonauta.

Nos espaço é muito difícil determinar a distância; um pequeno objeto próximo pode parecer grande e à distância, e o contrário também, destacou o cosmonauta. “O que me chamou a atenção é que o objeto estava abaixo da estação e se movia paralelamente a nós. Chamei Victor (Saviny) para que trouxesse a câmera“, comentou.

“Depois, houve explosões. A primeira à esquerda, a segunda à direita, e depois de alguns segundos a estação entrou na sombra da Terra. Ao sair da sombra mais tarde, olhamos ao nosso redor, mas não vimos os sinais de explosão.”

Kovalyónov admitiu não saber o que ocorreu. “Relatei [o evento], mas não houve reação. Hoje ninguém me pergunta sobre isso, além dos repórteres de TV. Creio que é porque calar é mais fácil do que dar uma resposta”, finalizou.

Fonte : ovnihoje.com

Agroglifo no Reino Unido

Este agroglifo (crop circle) apareceu em Silbury Hill, Wiltshire, no Reino Unido e foi encontrado em 25 de junho passado.

Silbury Hill é uma colina artificial pré-histórica de 40 metros de altura. Os arqueólogos calculam que tenha 4,750 anos de idade e que demorou 18 milhões de horas/homem, ou 500 homens trabalhando por 15 anos, para depositar e moldar 248.000 metros cúbicos de terra em cima de uma colina natural. Nenhuma estrutura tribal Neolítica simples poderia ter executado isso, ou projetos similares, de acordo com o site de origem da reportagem.

Voltando ao agroglifo, devido a certas particularidades dessas formações, as quais seriam praticamente impossíveis de serem feitas por uma equipe de humanos da noite para o dia, ainda há muita dúvida dos especialistas no assunto sobre a origem desse fenômeno, .

E para finalizar, aparentemente os símbolos encontrados ao redor do agroglifo parecerem ser baseados nas seguintes representações celtas, com pessoas alegando que representam a palavra em inglês ‘RISE’, que pode significar ‘ELEVE-SE:




Fonte: ovnihoje.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...