Pesquisar este blog

Mostrando postagens com marcador Extraterrestres. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Extraterrestres. Mostrar todas as postagens

domingo, 19 de julho de 2015

Qual sua Linhagem extraterrestre?

Dialogo cósmico Por Chico penteado :





Curta Nossa pagina no facebook: https://www.facebook.com/ufologiamissioneira?ref=hl

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Você já ouviu falar em OSNIS?


Você já ouviu fala em Osnis ? (Objetos Subaquáticos Não identificados ).
Veja o vídeo abaixo :


Fonte : https://www.youtube.com/watch?v=hlnF2fpZTG0

Nosso Facebook : https://www.facebook.com/

Osnis - Objetos Subaquáticos Não Identificados


Objetos Subaquáticos Não Identificados (OSNIs) não são tão famosos quanto os OVNIs, embora muitas vezes sejam avistados, de acordo com registros liberados pela Marinha Russa. O fenômeno OSNI comumente envolve objetos inexplicáveis que são avançados tecnologicamente, sendo muito superiores a tudo que já construímos.

Os documentos recém liberados contêm relatórios da era soviética, os quais detalham muitos casos de possíveis encontros com OSNIs. O ex-oficial naval russo e pesquisador de OVNIs, Vladimir Azhazha, acredita que estes documentos sejam de grande valor.

Um dos casos mais interessantes que ele examinou, envolveu um submarino nuclear em missão de combate no Pacífico Sul.

Durante uma operação de rotina, o submarino detectou seis objetos desconhecidos se deslocando em formação, a velocidades que excediam 230 nós (425 km/h). Em comparação, o submarino soviético mais rápido, o K-222, alcançava aproximadamente 44 nós, ou 82 km/s.

O equipamento sonar do submarino determinou que os objetos estavam vindo diretamente para ele, assim o capitão ordenou a subida até a superfície. Os OSNIs os seguiram até a superfície e então voaram embora.

Casos similares foram reportados na região do Triângulo das Bermudas, como relembra o comandante aposentado de submarino, Yuri Beketov. Instrumentos abordo muitas vezes apresentam defeitos, indicando a presença de uma interferência forte. Muitos acreditam que isso seja um claro sinal da presença e OVNIs/OSNIs.


“Em várias ocasiões, os instrumentos apresentavam leitura de objetos sólidos se movendo a velocidades incríveis. Os cálculos mostravam velocidades de 230 nós, ou 425 km/h. Esta velocidade é até mesmo um desafio na superfície. Mas a resistência da água é muito maior. Era como se os objetos desafiassem as leis da física. Só há uma explicação: as criaturas que os construíram são muito superiores a nós em desenvolvimento“, disse Beketov.

Tanto os OVNIs quanto os OSNIs parecem se concentrar quando operações militares ocorrem, indicando o seu interesse no arsenal militar humano.

Uma outra zona de grande atividade de OSNIs é o Lago Baikal, na Rússia. Este, que é o lago de água doce mais profundo do mundo, sempre tem apresentado uma natureza misteriosa e pescadores contam casos de luzes sendo vistas em suas profundezas. Múltiplos contos populares descrevem mergulhadores sendo tragados para baixo por criaturas nas águas calmas do Baikal.

Um outro documento russo descreve o encontro entre um grupo de mergulhadores militares e vários seres humanoides em roupas prateadas. Os mergulhadores estavam treinando no Lago Baikal, em profundidades de 50 metros, quando encontraram um grupo de criaturas estranhas. Os mergulhadores foram mais fundo, em perseguição aos humanoides. Três dos homens foram mortos, enquanto os outros quatro ficaram severamente feridos.

Vladimir Azhazha acredita que o assunto deveria ser investigado mais a fundo.

“Eu penso sobre as bases submarinas e digo: por que não? Nada deveriam ser descartadas“, diz Azhazha. “Ceticismo é o caminho mais fácil: acredite em nada, faça nada. As pessoas raramente visitam as grandes profundidades. Assim é muito importante analisar o que eles encontram por lá.”

Ao bem da verdade, pelo que me consta, não há diferença entre naves espaciais extraterrestres e naves subaquáticas extraterrestres. Parecem ser o mesmo veículo, capaz de se mover no espaço, na atmosfera e dentro da água, com grande agilidade. Assim, provavelmente OSNIs são OVNIs que mergulham.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Abdução, interessante relato de ouvinte enviado a Chico penteado





O seguinte relato e foi divulgado por Chico penteado em um de seus programas via youtube , para quem não o conhece chico penteado é conhecido em todo o meio ufológico brasileiro e no exterior também.
Relato via sonho do ouvinte Fabiano para chico penteado.

Veja o vídeo abaixo :
Produção do vídeo por : Chico penteado 

quinta-feira, 15 de maio de 2014

O óvni de Parnamirim



Misteriosos registros de objetos voadores não identificados parecem ser algo que está muito além dos céus norte-americanos, europeus ou asiáticos.
 Ultimamente, em uma cidade da região metropolitana de Natal (RN), alguns avistamentos mudaram a rotina da cidade e seus habitantes. A cidade de Parnamirim nunca mais será a mesma depois dos casos inquietantes, registrados em vídeos amadores pela população da cidade.

 O que é? Irão voltar? Ninguém sabe... De acordo com os moradores da cidade, um objeto redondo e brilhante foi avistado nos céus desde dezembro de 2012, contudo, nenhuma investigação por parte dos órgãos competentes foi realizada até o momento. “Eu tenho certeza absoluta de que não é um avião.
 Ele é redondo e não faz barulho” Afirma o professor Edvaldo Gomes, que já avistou o objeto inúmeras vezes e, inclusive, chegou a comprar uma câmera para registar o fenômeno (veja os vídeos abaixo). A questão dos óvnis ainda é um assunto tratado com reserva pelo governo brasileiro, contudo uma portaria de 9 de agosto de 2010, regulamenta como a Aeronáutica deve proceder no caso de avistamentos.

 Nesta situação, Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra) seria o órgão responsável por receber e catalogar as notificações referentes a óvnis. Os registros ("relatados por usuários dos serviços de controle de tráfego aéreo") devem ser encaminhados ao Centro de Documentação e Histórico da Aeronáutica (Cendoc).

 Um dos casos mais famosos de óvnis no Brasil ocorreu em 1977 e ficou conhecido como Operação Prato. Militares chegaram a investigar objetos voadores vistos por moradores da cidade de Colares, no Pará. A presença de óvnis, contudo, nunca foi comprovada pela FAB. Veja abaixo os impressionantes registros sobre o óvni de Parnamirim:

  video: Ao longo de quase dez minutos, uma luz oscilante é avistada um pouco acima da linha do horizonte. O ponto luminoso apresenta brilho de intensidade variada, às vezes é mais forte, outras é mais fraco. 

quarta-feira, 16 de abril de 2014

domingo, 30 de junho de 2013

Óvnis e extraterrestres são reais, afirmou Ben Rich

Ben Rich, diretor da Lockheed Skunk Works, confessou antes de morrer

Ben Rich, diretor da Lockheed Skunk Works, admitiu em seu leito de morte que as visitas de OVNIs extraterrestres são reais e que os militares dos Estados Unidos viajam pelas estrelas, de acordo com artigo publicado em maio de 2010 no Jornal UFO MUFON.

O que ele revelou pode parecer novidade para a maioria das pessoas, porém, isto aconteceu em janeiro de 1995. Suas declarações dão respaldo aos relatos de que os militares dos EUA tem estado voando em veículos que imitam as naves alienígenas.


O artigo foi escrito por Tom Keller, um engenheiro aeroespacial, que trabalhava como analista de sistemas de computadores para a NASA.

1. “Dentro do Skunk Works (entidade de pesquisa e desenvolvimento secretos da Lockheed), eramos um grupo pequeno, mas muito unido, que consistia de aproximadamente 50 engenheiros e projetistas veteranos, e uma centena de torneiros mecânicos peritos e outros funcionários. Nosso ponto forte era a construção, em números pequenos, de aeronaves tecnologicamente avançadas para missões de alto segredo“.

2. “Já possuímos os meios para viajar entre as estrelas, mas estas tecnologias estão trancafiadas em “projetos negros” (black projects) e somente um ato Divino poderia tirá-las de lá para o benefício da humanidade. Qualquer coisa que você possa imaginar, nós já sabemos fazer“.

3. “Temos a tecnologia para levar o ET para casa. Não demorará uma vida inteira até que consigamos isto. Há um erro nas equações. Nós sabemos qual é. Agora temos a capacidade de viajar para as estrelas. Primeiro, você deve compreender que nunca conseguiríamos chegar nas estrelas com propulsão química [os tradicionais foguetes de hoje]. Segundo, temos que criar uma nova tecnologia de propulsão. O que temos que fazer é descobrir onde o Einstein errou“.

4. Quando perguntaram à Rich como é que a propulsão dos OVNIs funcionava, ele disse: “Deixe-me perguntar à você. Como é que a Percepção Extra Sensorial funciona?“ A pessoa que foi indagada por Rich respondeu: “Todos os pontos no tempo e espaço estão conectados?“. Rich então disse, “É exatamente assim que funciona!”

Ben Rich sabia da existência de OVNIs extraterrestres

Rich sabia que os OVNIs extraterrestres do caso Roswell influenciaram o projeto dos kits do modelo Testor, e de aeronaves secretas dos EUA. De acordo com uma reportagem da CNI News, por Michael Lindemann, a informação do projeto derivou-se das ilustrações forenses e dos vários relatos das testemunhas sobre o OVNI de Roswell, fornecido por William L. “Bill” McDonald.

Em e-mail datado de 29 de julho de 1999, endereçado a Lindemann, MacDonald referenciou um trecho de uma discussão com Harold Puthoff, fundador do programa altamente secreto dos EUA de “remote viewing” (visualização remota).

MacDonald disse: “Bem, Hal, você pediu por isso! Agora que o legendário engenheiro e chefe de projetos de modelagem da Lockheed para Testor Corporation, John Andrews, está morto, eu posso anunciar que ele pessoalmente confirmou a conexão de projeto entre a nave de Roswell e os Veículos Aéreos de Combate Não Tripulados da Lockheek Martin (UCAVS, em inglês), aviões espiões, Caças Joint Strike e os Ônibus Espaciais“.
Andrews era uma amigo pessoal do diretor da Skunk Works, Ben Rich, que foi selecionado a dedo para substituir o fundador daquela organização, Kelly Johnson, e também ficou famoso pelo projeto do caça F-117 Nighthawk Stealth Fighter, seu protótipo miniaturalizado “HAVE BLUE“, e a aeronave super secreta F-19 Steath Interceptor. Antes de Rich morrer de câncer, confirmou:

“Existem dois tipos de OVNIs. O que nós construímos e o que ‘eles’ construíram. Nós aprendemos tanto das recuperações de OVNIs que se acidentaram e dos que ‘nos foram dados’. O governo [dos EUA] sabia disso e até 1969 mantinha controle na administração dessa informação. Após a retirada de Nixon em 1969, a administração passou a ser feita por uma comissão internacional de diretores do setor privado…”

“Quase todas as aeronaves com desenho “bimorphic” foram inspiradas na aeronave de Roswell, desde o SR-71 Blackbird, até os “drones”, UCAVs e espaço naves“.

A opinião de Ben Rich era de que o público não deveria ficar sabendo sobre os OVNIs e extraterrestres. Ele acreditava que eles não conseguiriam encarar a verdade. Somente nos últimos meses de seu declínio que ele começou a pensar que a comissão de diretores internacionais que ‘administram’ o caso poderia representar um maior problema para as liberdades pessoais dos cidadãos, sob a Constituição dos Estados Unidos, do que os visitantes alienígenas poderiam.

Lindemann comentou que “Bill McDonald recebeu a informação de Andrews desde 1994 até o seu último telefonema perto do Natal de 1998“.
Lindemann também disse “Deve-se da mesma forma ser conhecido que Dr. Ben R. Rich participou de uma conferência pública de engenheiros e projetistas aeroespaciais em 1993, antes de sua doença o ter debilitado, na qual ele declarou, na presença do diretor da seção de Orange County da MUFON, Jan Harzan e muitos outros, que ‘Nós (o complexo industrial militar e a comunidade aeroespacial dos EUA) tivemos em nossa posse a tecnologia para levar-nos até as estrelas”.

terça-feira, 4 de junho de 2013

Regressão em abduzidos

Em uma decisão única, o Conselho Nacional de Hipnose Britânico (NCH) criou uma política relativa a abduções extraterrestres. Até onde sabemos, esta é a primeira vez que um dos corpos profissionais que representam a hipnose britânica fez um pronunciamento oficial neste assunto, deixando orientação somente para seus membros.

A força motriz atrás desta iniciativa é o psicoterapeuta David Howard, com quem estamos trabalhando durante algum tempo. David é um membro do NCH com um interesse em uma gama extensiva de fenômenos paranormais e psíquicos. Ele trabalhou com várias pessoas que acreditam que tiveram experiências com abduções e teve durante algum tempo preocupado com este importante campo de seu trabalho que era feito sem assistência de nenhuma diretriz oficial. Baseando em seu conhecimento e experimentos neste campo ele levou este assunto para a NCH e ofereceu algumas sugestões. Eu submeti um papel também a NCH, enquanto utilizava o Ministério oficial de pesquisa de Defesa e investigação deste fenômeno, e trabalho subseqüente empreendido junto a uma capacidade privada.

David Howard

No dia 14 de dezembro de 2001 o NCH escreveu a David Howard, incluindo um documento intitulado Declaração de Política de Abdução Extraterrestre. O texto era como segue abaixo:

"Com o recente interesse neste fenômeno, o Conselho Nacional de Hipnose emite as seguintes diretrizes":

Clientes portadores de experiências de abduções extraterrestres (AAC) serão tratados com o mesmo respeito e cortesia como se fosse qualquer outro cliente. As técnicas de regressão que devem ser utilizadas com os abduzidos deverão seguir estas diretrizes:

a. Não Diretiva
b. Não Conduzida
c. Preferivelmente Indireta

O terapeuta também deve estar atento às implicações da Falsa Síndrome de Memória (FMS). Nós recomendamos que os terapeutas não devam introduzir o assunto de Abduções Extraterrestres a menos que o paciente recorra em primeiro lugar a isto. Adicionalmente, os terapeutas não devem se ocupar confirmando estes incidentes.

Eles devem ter uma posição neutra na existência de Abduções Extraterrestres.

Por causa da necessidade de regressão em Abduzidos é essencial que os terapeutas se assegurem que o histórico de saúde médica e mental destes pacientes seja pesquisada antes do começo do tratamento".

É importante reconhecer que tipo de terapia e hipnose de regressão serão aplicadas já que são técnicas controversas e com muitas discordâncias científicas (Para um resumo disto, veja meu livro "O Não convidado", especialmente capítulos três e quatro).

Também é importante reconhecer que o NCH não é a única organização que busca satisfazer as necessidades dos terapeutas de hipnose britânicos. Mas quando o NCH emitiu esta declaração de política foi dado um passo corajoso que reconheceu como verdadeiro todas as solicitações de investigação de abduções extraterrestres. Existem inúmeras pessoas que buscam ativamente por ajuda e orientação neste assunto porque eles realmente acreditam que tiveram uma experiência. Até agora, tais pessoas não tiveram apoio de parte alguma. Agora isto é um caso mais longo, e os abduzidos podem descansar tendo assegurado que se eles chegarem a qualquer terapeuta afiliado ao NCH, eles estarão lidando pelo menos com alguém que terá uma consciência básica do fenômeno, junto com uma compreensão de como melhor levar uma investigação adiante. Este é o grande avanço oriundo desta nova orientação.

Que mais foi planejado?

David Howard pretende escrever algo para o diário do NCH e agirá como o líder da organização neste assunto. Ele também postará algo a respeito no website (www.hypnotherapists.org.uk).

Serão encorajados que os membros do NCH empreendam pesquisa neste assunto, ou como parte de uma qualificação de pós-graduação ou independente.

A discrição do editor, os seus resultados podem ser publicados no Diário de Hipnoterapia.

Podem ser usados o website e o diário para reunir as pessoas com interesses em pesquisas nesta área, e é provável que um debate começará no foro de discussão do NCH.

Antes da iniciativa do NCH, o melhor fato conhecido sobre esta atitude na ufologia britânico sobre hipnose de regressão foi provavelmente à moratória OVNI de 1987 da Associação de Pesquisa britânica no uso desta técnica. Embora bem-intencionado na ocasião, esta moratória parece um pouco pitoresca agora. Não se pode voltar atrás após ter se dado um passo adiante, e o fato neste assunto são os números crescentes de pessoas no Reino Unido que tiveram experiências de abduções e que agora estão buscando a oportunidade de passar por uma hipnose de regressão. Enquanto todo o ufólogo responsável se assegurar que estas pessoas estão livres dos profissionais trapaceiros desta técnica, nós temos que escutar as pessoas até o final, a procura do tipo de metodologia conduzindo a testemunha defendo-as dos investigadores como Dr Alex Keul e o recente Ken Phillips. Afinal de contas, se alguém quiser fazer regressão, eles acharão um modo indubitavelmente. Nós devemos sim assegurar que pelo menos estas pessoas podem procurar alguém que tem uma consciência do fenômeno e está preparado verificar os casos dentro de uma forma responsável.

Indubitavelmente, o debate sobre hipnose de regressão continuará. Mas quando os profissionais de saúde mentais como o psiquiatra Dr. John Mack Médico da Escola de Havard disser que a técnica do diagnóstico e terapia for válido, nós teremos ter este assunto amadurecido. Querendo ou não a hipnose regressiva chegou aqui para ficar. Esta pode nos permitir a ter acesso a dados novos sobre um fenômeno e em muitos casos conduz a uma catarse por parte do abduzidos. Este é o caso que nós precisamos assegurar que a técnica é responsavelmente usada. Pensando nisto, o trabalho empreendido por David Howard e o NCH deveria ser recebido de braços abertos por qualquer um que tenha interesse no fenômeno de abdução alienígena - crente ou céptico - que está genuinamente preocupado com o bem-estar das pessoas que passaram por uma experiência de abdução extraterrestre.

Esta iniciativa nova será apoiada indubitavelmente por alguns e será combatida por outros, e um debate vivo está por acontecer. Contanto isto tem de ser levado de uma forma construtiva, para que possa ser de benefício à ufologia.

Tradução: Milton Dino Frank Junior
Fonte: www.cubbrasil.net e UFO UPDATES

segunda-feira, 18 de março de 2013

Cinco razões que dão suporte à realidade da visitação extraterrestre ao nosso planeta

Hoje em dia, com a enxurrada de vídeos forjados de OVNIs (os assim chamados ‘fakes‘) no YouTube e outros canais de vídeo na Internet, é muito fácil para os menos ingênuos desacreditarem de imediato o fato de que possa haver algo lá fora mais misterioso do que se possa imaginar, principalmente quando não se pesquisa a fundo sobre o fenômeno.

Talvez as informações abaixo possam elucidar um pouco aqueles que ainda têm dúvidas sobre a realidade dos OVNIs e não tiveram tempo de pesquisar:

1. Os avistamentos documentados da história: OVNIs têm estado à nossa volta por muito tempo. O primeiro relato de OVNIs nos Estados Unidos foi em 1639, quando o governador da colônia de Mssachusetts, John Winthrop, anotou em seu diário que um homem de nome James Everell, descrito por ele como “um homem sóbrio e discreto” e duas outras testemunhas, avistaram um objeto luminoso voar para cima e para baixo do Rio Muddy, perto de Charlstown, por duas a três horas.

Há avistamentos documentados do que eram chamados de “airships” (navios do ar) durante os anos 1800, tal como o avistamento de julho de 1884 de um OVNI esférico, rodeado de um anel, em Norwood, estado de Nova Iorque, e um rápido objeto que brevemente pairou sobre as espantadas pessoas da cidade de Everest, no estado do Kansas em 1897.

E esses são só alguns dos relatos documentados nos EUA, sem contar com o resto do mundo, desde a antiguidade.

2. Inúmeros avistamentos da época moderna, por observadores profissionais e bem treinados: No livro de Ruppert, de 1955, “The Report on Unidentified Flying Objects” (O Relatório Sobre Objetos Voadores Não Identificados – trad. livre n3m3), ele documentou numerosos casos de membros do serviço militar, pilotos militares e civis, cientistas e outros profissionais críveis que tinham observado OVNIs. Em um dos casos, Ruppelt descreve a experiência de um piloto de jato F-86 da Força Aérea dos EUA, que foi despachado para seguir um OVNI e chegou a 300 metros do objeto, que tinha a forma de disco e abruptamente voou para longe à uma velocidade incrível, após o piloto atirar nele. Ele também menciona um encontro com um OVNI em 1948, no qual dois pilotos comerciais chegaram a 200 metros dele e viram duas fileiras de janelas com luzes brilhantes.

E esses são só dois casos dentre milhares de outros casos reportados por pilotos militares, civis e controladores de tráfego aéreo.

3. Consistências nas descrições das alegadas naves dos avistamentos de OVNIs: Por décadas, as pessoas que avistaram OVNIs têm mostrado uma consistência notável quando descrevem as formas e características dos objetos avistados. Em 1949, os autores do relatório para o Project Sign, uma das primeiras investigações militares sobre OVNIs, identificou quatro grupos principais de objetos: discos voadores, naves em forma de charuto ou torpedo — sem asas ou “barbatanas”, objetos esféricos capazes de pairar no ar ou voar em altas velocidades e bolas de luz sem nenhum formato físico aparente, similarmente manobráveis.

Quase vinte e cinco anos depois, uma investigação do governo francês, liderada por Claude Poher do Centro Nacional para Pesquisa Espacial, encontrou padrões similares em mais de 1.000 relatos da França e de vários outros países.

Uma exceção aos casos é que em recente anos relatos sobre OVNIs em forma de “cunha” começaram a aparecer.

4. Possível evidência física de encontros com naves alienígenas: Em 1968, um relatório da Universidade do Colorado, nos EUA, compilado por uma equipe chefiada por James Condom, documentou vários casos de áreas onde o solo, grama e outra vegetação, de acordo com relatos de testemunhas, tinham sido achatadas, queimadas, quebradas ou varridas à distância por OVNIs.

Um relatório pelo astrofísico Peter Sturrock, da Universidade de Stanford, o qual liderou um estudo científico sobre a evidência física de OVNIs no final da década de 1990, descreve sobre amostras de plantas tiradas de um alegado local onde um OVNI aterrissou na França em 1981. Os pesquisadores franceses descobriram que as folhas tinham passado por mudanças químicas estranhas do que tipo que poderiam ter sido causadas por forte radiação de microondas — o que foi difícil de explicar, considerando que eles não encontraram traços de radioatividade no local.

5. Efeitos psicológicos nas testemunhas de OVNIs: O Relatório Sturrock descreve em detalhes vários sintomas relatados por indivíduos que tiveram encontros com OVNIs, que vão desde queimaduras e surdes temporária, até náusea persistente e perda de memória. Um dos mais vívidos exemplos é o que envolveu Betty Cash, Vickie Landrum e seu neto Colby, os quais relataram ter encontrado um grande objeto em forma de losango, pairando sobre uma estrada do Texas em dezembro de 1980. Todos os três ficaram enfermos após o evento; Cash, por exemplo, desenvolveu bolhas d’água em sua face e inchaços que fecharam seus olhos, além de náusea severa e diarréia. Os efeitos persistiram por anos e ela foi hospitalizada dezenas de vezes.

E esses são somente alguns poucos exemplos. Devemos também lembrar que, além do que foi informado acima, através de toda a história humana, desde a idade da pedra até os tempos modernos, há registros de atividades estranhas no céu.

Embora comprovadamente 95% dos relatos de OVNIs não sejam reais, os 5% restantes dão um respaldo incontestável para a tese da visitação à Terra por naves com tecnologia muito além da nossa. E por mais que os céticos, inclusive os que visitam este blog, sempre se baseiam nos 95% de casos falsos para defenderem sua cegueira — convenientemente esquecendo dos outros 5%, há sim algo anormal que vem ocorrendo desde o início da nossa história neste planeta. Algo que não pode ser ignorado, embora muitos prefiram se calar ao invés de tentar provar o contrário.

Esses casos ainda não resolvidos de OVNIs, os quais são respaldados por pessoas sérias e com integridade incontestável, são o combustível para nossa jornada em busca da verdade sobre a possibilidade de estarmos sendo visitados por entidades de outros mundos.

Fonte: ovnihoje.com e www.google.com.br

domingo, 17 de março de 2013

Nasa, Nazistas e Extraterrestres

Todos nós conhecemos Werner Von Braun, o arquitecto da NASA e o "herói" da conquista do espaço.

Não sabemos, no entanto, que ele era um nazi convicto. Não nos é dito que a sua principal obra, a bomba V2, era construída numa fábrica gerida pelas SS e usando trabalho escravo dos campos de concentração.

Von Braun, como muitos dos cientistas nazis, pertenciam ao partido nazi e eram nazis convictos.

Isso apresentava um problema: a lei americana proibia expressamente a emigração de nazis para os Estados Unidos.

Isso significava que praticamente todos os cientistas, já em solo americano, teriam de ser expatriados de volta para a Alemanha. Quer o Departamento da Guerra quer a CIA não queriam perder o seu contributo, fruto de muitos projectos avançados que tinham decorrido na alemanha nazi.

Assim, o presidente Trumman autorizou o "projecto Paperclip" em 1946, o projecto para trazer cientistas alemães seleccionados para trabalharem para os Estados Unidos. No entanto, Trumman excluiu expressamente todos os que "tenham sido membros do partido nazi e mais do que participantes nominais nas suas actividades, ou apoiantes activos do nazismo ou militarismo".

A Agência de Investigação do Departamento da Guerra (JIOA), conduziu investigações sobre o passado dos cientistas. O seu director, Bosquet Wev, submeteu o primeiro lote de dossiers ao departamento da justiça para serem apreciados.

Os dossiers eram incriminadores. Samuel Klaus, o representante do departamento da justiça, afirmou que "todos os cientistas do lote eram nazis convictos". Os pedidos de visto de entrada foram recusados.

Wev reagiu mal. Considerava que a devolução à Alemanha dos cientistas iria constituir uma ameaça maior à segurança dos Estados Unidos do que mantê-los em território americano.

Quando o JIOA começou a investigar os nazis, Reinhard Gehlen, chefe da inteligência na frente leste, encontrou-se com Allen Dulles, o director da CIA. Dulles prometeu-lhe que a sua organização ficaria em segurança dentro da CIA.

Após vários adiamentos, o lançamento da Challenger foi marcado para 28 de janeiro de 1986. Naquele dia, não se sabia se o mau tempo permitiria a decolagem do Centro Espacial Kennedy, na Flórida. A equipe responsável pela missão acabou dando sinal verde. Pouco mais de um minuto depois do lançamento um defeito nos tanques de combustível causou a explosão da nave. A tripulação era composta pelos astronautas Michael Smith, Dick Scobee, Judith Resnik, Ronald McNair, Ellison Onizuka e Gregory Jarvin, além da professora Christa McAuliffe. A presença de Christa despertou o interesse dos americanos e em particular das crianças, que seguiram com interesse o lançamento televisionado.

Na mesma noite, o então presidente Ronald Reagan deveria discursar sobre o Estado da União, mas decretou luto nacional e pronunciou uma mensagem.

Por conta dos 25 anos da tragédia, a Nasa realizará diversos atos pelo país. O principal será no próprio Centro Espacial Kennedy, de onde partiu a nave.

INTELIGÊNCIAS EXTRATERRESTRES AMEAÇARAM A NASA? 

É incontestável que a politica de expansão intersideral é de momento incoerente e que não pode arranjar uma solução positiva a não ser por meio da associação de todas as forças: a aventura cósmica implica a nação Terra. 

Mas esse é um erro tático quando se prepara aquilo, que apesar de tudo, continua a ser um projeto de invasão, deve prever-se a mesma eventualidade em sentido inverso, pois se é bastante lógico encarar a vinda junto de nós de extraterrestres pacíficos, é razoável tomar precauções contra possíveis agressores. No entanto, esse perigo parece de pouca importância. 

Dir-se-ia de fato impossível que uma civilização extraterrestre possa afrontar impunemente nossos micróbios, os nossos vírus, as nosssas epidemias e a própria natureza de nossa atmosfera, sem um longo período de adaptação. 

É também evidente que, para os Terrestres, a vida ao ar livre sobre um outro planeta está completamente posta de lado, mesmo nas hipóteses mais otimistas. A aclimatação num planeta habitado está portanto submetida a um acordo tático, a uma integração admitida nas condições biológicas favoráveis aos visitantes. Os físicos prepravam, com vista a essa cooperação, um sistema de sináis elétricos, ópticos(sem dúvida com Laser) e um código próprio para trocas de comunicações científicas. 

Esse projeto de um pacto já concluído entre América, sob o Governo de Eisenhower, e os Extraterrestres que teriam desembarcado na Base Aérea de Muroc.

No entanto, os Russos firmam que estes últimos, que já povoam o nosso céu, bombardeiam as instalações militares e as bases de lançamento de satélites americanos. 

Bombardeio da Florida 

A afirmação de que a Florida tem sido bombardeada baseia-se nos suepreendentes acontecimentos - e de caráter criminal – que s deram nos estados americanos próximos de Cabo Canaveral na Florida, acontecimentos que permitiram supor que os Extraterrestres atacam e que a guerra já começou. 

Um após os outro, os projetos americanos mais minuciosamente estudados fracassam. Sobre o conjunto do território, 20.000 engenheiros e técnicos americanos, ajudados por computadores avançados, fazem e refazem os cálculos relativos aos engenheiros espaciais que muitas vezes falham os seus objetivos, desaparecendo ou mantendo-se silenciosos como carpas. As equações estão certas. O material é impecável: milhares de test-shots provaram-no e provam-no.

Então? De que se trata? 

Sabotagem de Inteligências extraterrestres!!!!!

De onde vem eles? De um outro mundo, afirmam os aviadores americanos que, durante a útima guerra mundial, foram os primeiros a aperceber-se da presença desses indesejáveis. 

Bem entendido, já outras hipóteses em curso, segundo alguns seriam párticulas cósmicas dirigidas, vindas dos planetas e constituindo de verta maneira um raio da morte apontado pelos Extraterrestres sobre as instalações americanas da Florida. 

A essas partículas deu-se-lhes um nome: partículas trans-alfa.

Elas dissociariam as moléculas dos corpos, as células humanas e, segundo a natureza do écran encontrado, determinariam uma combustão instantânea. Concentrados sobre Cabo Canaveral ou sobre laboratórios norte-americanos do Oest, seriam por vezes desviadas e matariam acidentalmente alguns inoscentes. 

Seja qual for a natureza dessas bizarras manifestações, os Americanos mostran-se muito inquietos e não estão longe de adoptar o ponto de vista Russo. 

Eles chegam a apontar o misterioso satélite que chamam de Cavaleiro Negro de sr o responsável pelas agressões, e vão sr lançados sobre a sua órbita aproximada foguetes Minuteman de ogiva nuclear, providos de uma cabeça investigadora, com missão de destruí-lo.

Um pormenor espanta: se os Extraterrestres comentem uma agressão, eles dirigem-na contra aquele dos dois grandes que parece menos bem colocado para a corrida do cosmos. 

A maior parte dos fatos está oberta pelo segredo de Estado, portanto é difícil dizer se Cabo Canaveral está vedadeiramente visado; na afirmativa, o fato adquiriria uma importância tal que toda a história dos homens seria alterada . 

Talvez se trate também de um simples aviso, proibindo-nos a conquista do céu. 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...